Área de Associados


X    fechar
Webmail


X    fechar
Webmail


X    fechar
Extensões de Base
X    fechar


Boletim Eletrônico

14 de Abril de 2014

Semana começa com frente fria e temporais no Sudeste

SUL

Nesta segunda, dia 14, uma massa de ar seco de origem polar ainda atua sobre grande parte do Sul. Há previsão de chuva isoladas apenas no extremo norte do Paraná, nos outros Estados não deve chover. Com os ventos soprando de quadrante sul, as manhãs serão mais frias.

Na terça, a frente fria que atua sobre o Sudeste ainda traz algumas áreas de instabilidade sobre o norte e parte do leste do Paraná. Assim, nessas regiões, a previsão é de pancadas de chuva, principalmente durante a tarde quando o risco para temporais aumenta. Nas demais localidades do Paraná e também em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, as instabilidades perdem bastante força e não há previsão de chuva.

Uma massa de ar frio chega ao Sul garantindo que as temperaturas não se elevem muito ao longo da tarde. Nas regiões serranas, as temperaturas ficam bem amenas, com mínimas em torno dos 8°C. Nos próximos dias, essa frente fria se afasta em direção ao oceano e as áreas de instabilidade que antes atuavam sobre o norte do Paraná perdem força.

Os ventos úmidos que sopram do oceano são responsáveis por provocar pancadas de chuva sobre o litoral do Paraná e também de Santa Catarina, mas nada de grandes acumulados. As temperaturas continuam baixas nas madrugadas e primeiras horas da manhã principalmente nas Serras catarinense e gaúcha, mas ao longo das tardes, com o aparecimento do sol, as temperaturas se elevam um pouco mais.

SUDESTE

Nesta segunda a frente fria já se afasta mais em direção ao Rio de Janeiro e traz muitos temporais, com risco para transtornos neste Estado desde o período da manhã. As pancadas também persistem sobre o leste de São Paulo, com potencial para temporais, com potencial de atingir o restante do Estado ao longo da tarde, de forma mais isolada.

Este sistema traz umidade da Amazônia sobre Minas Gerais, onde chove principalmente no sul, divisa com Rio de Janeiro e Triângulo Mineiro. Ao longo da tarde, estas instabilidades atingem o restante de Minas de forma mais isolada e a chuva será com menores acumulados. No Espírito Santo o dia persiste nublado e com chuva de baixo acumulado ao longo do dia. De maneira geral, apesar das temperaturas sofrerem declínio, o tempo fica abafado.

Na terça, a frente fria vinda do Sul continua atuando sobre o Sudeste. Ela ajuda a organizar um corredor de umidade vindo da Amazônia e as áreas de instabilidade ganham força principalmente sobre o nordeste de São Paulo, na divisa com o Rio de Janeiro e também sobre o sul de Minas Gerais, onde os maiores volumes são esperados e o risco para temporais é maior. Devido à nebulosidade, as temperaturas não se elevam tanto ao longo da tarde em uma faixa leste que vai desde o sul de São Paulo, passa pelo sul do Rio de Janeiro e também centro-sul de Minas. Já no Espirito Santo e também no norte mineiro, as temperaturas se elevam mais.

Nos próximos dias, essa frente fria se afasta em direção ao oceano mas ainda consegue organizar a umidade vinda do Norte. Assim, as áreas de instabilidade perdem forçam mas ainda provocam pancadas de chuva durante as tardes principalmente sobre o centro-sul de Minas Gerais, sobre o norte de São Paulo, sobre o Rio de Janeiro e também sobre sul do Espírito Santo. Nessas regiões os volumes esperados são elevados, bem como o risco para temporais.

CENTRO-OESTE

A frente fria que persiste sobre o Sudeste organiza um corredor de umidade sobre o Centro-Oeste, trazendo pancadas de chuva para Mato Grosso e Goiás, onde há risco para temporais isolados. Já e Mato Grosso do Sul, o ar seco começa a ganhar intensidade e chove apenas na divisa com os dois Estados. As temperaturas começam a baixar, principalmente pela manhã em Mato Grosso do Sul, por conta da entrada dos ventos que sopram de quadrante sul.

Nesta terça, este corredor de umidade permanece trazendo áreas de instabilidade sobre a região. Assim, ao longo da tarde, a previsão é de chuva forte, com elevados acumulados e risco para temporais principalmente sobre o sul e leste de Goiás, nordeste de Mato Grosso do Sul e sudeste de Mato Grosso. Em decorrência da nebulosidade, as temperaturas não se elevam tanto nessas regiões.

Já no norte de Goias e de Mato Grosso e no oeste de Mato Grosso do Sul, as temperaturas se elevam e faz calor. Nos próximos dias, essa frente fria se afasta para o oceano, mas ainda consegue canalizar a umidade vinda do Norte. As áreas de instabilidade perdem força e podem ocorrer chuvas em forma de pancadas ao longo do dia, mas sem grandes acumulados.

NORDESTE

A Zona de Convergência Intertropical, que é a faixa de nebulosidade que mantém as pancadas de chuva desde o Rio Grande do Norte até o Maranhão ainda traz áreas de instabilidade para o Nordeste nesta segunda. Os ventos úmidos que sopram do oceano ainda trazem pancadas de chuva isoladas ao final da tarde, para o leste da região. O tempo ainda persiste abafado ao longo do dia.


Na terça, a Zona de Convergência Intertropical continua atuando e traz chuva forte, com elevados acumulados principalmente sobre o extremo norte do Maranhão e também do Ceará. Nas demais localidades, os ventos úmidos que sopram do oceano contribuem para o aumento das áreas de instabilidade, que provocam pancadas de chuva ao longo da tarde. Há previsão de chuva forte também sobre o sul do Piauí e também entre a Bahia e o Tocantins. Temperaturas elevadas e calor continuam na região.

Nos próximos dias a situação pouco muda. A Zona de Convergência Intertropical continua atuando principalmente sobre o extremo norte da região, provocando chuva forte com grandes volumes acumulados. Chove de maneira mais intensa sobre o extremo norte do Maranhão, do Ceará e do Rio Grande do Norte. As temperaturas seguem elevadas.

NORTE

As instabilidades associadas ao calor e à umidade ainda mantém as pancadas de chuva sobre grande parte da região nesta segunda, e há o risco de trovoadas. O risco para temporais aumenta no oeste do Amazonas, onde as pancadas devem ocorrer de forma mais intensa. O tempo ainda segue bastante abafado, desde a madrugada.


Na terça, estas áreas de instabilidade tropicais provocam pancadas de chuva principalmente no período da tarde em quase todos os Estados. Os maiores acumulados são esperados no oeste do Amazonas, no leste do Amapá e na divisa entre os Estados do Acre, Amazonas e Rondônia. O calor e as temperaturas elevadas continuam em todos os Estados.

No decorrer da semana a situação pouco muda. O calor e a umidade continuam provocando pancadas de chuva ao longo da tarde em quase todos os Estados. Os maiores volumes de chuva são esperados no norte e oeste do Amazonas, em Roraima no sul do Pará e também no Amapá.

SOMAR METEREOLOGIA


Mais Notícias



Fale Conosco

(44) 3220-1550


Rua Piratininga, 391 - Edifí­cio Lavoura - Fax (44) 3220-1571 - CEP 87013-100

Maringá - Brasil


 
Via Site